_ TELEFONE: (41) 99685-0693_____________ _E-MAIL: CONTATO@BRUTUSST.COM.BR

Pesquisa mostra como o potencial é desperdiçado por vários motivos

Os custos logísticos são hoje um dos maiores desafios para as empresas brasileiras. Além da infraestrutura caótica que contribui para mais gastos e atrapalha o andamento correto do processo, existe um desgaste no formato em que os serviços são firmados, principalmente, entre caminhoneiros e a indústria. Nosso blog te mostra como o sistema desestruturado está reduzindo os lucros de todos envolvidos no processo.

Com objetivo de avaliar os custos logísticos para as empresas e seu impacto nos negócios, a Fundação Dom Cabral realizou a pesquisa de Custos Logísticos no Brasil, com dados de 2015. Participaram do estudo 142 empresas brasileiras de 22 segmentos industriais, cujo faturamento total equivale a 15% do PIB brasileiro. Veja os resultados:

  • Os custos logísticos no Brasil consomem 11,73% da receita das empresas – aumento de 1,8% em relação a 2014;
  • Esse número revela um alto nível de dependência de Rodovias (98%), Profissionais Qualificados (85%) e Máquinas e Equipamentos (78%);
  • Em relação às empresas com volume de vendas entre R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão, o custo logístico subiu 30%;

Para Paulo Resende, coordenador do Núcleo de Infraestrutura e Logística da Fundação Dom Cabral e responsável pelo estudo, uma forma de minimizar seus custos logísticos, as companhias têm optado por terceirizar os serviços de transportes, fechar centros de armazenamento e distribuição e​​ cortar estoques.

“O aumento dos custos logísticos se reflete no preço final dos produtos comercializados e isso afeta diretamente o consumo das famílias. Essa ‘inflação logística’ acarreta em um problema econômico e social, pois quem acaba sofrendo, em maior intensidade, são as classes mais baixas”, afirma Resende.

Rodovias têm papel destaque

Em relação ao custo do transporte de insumos e produtos, o modal rodoviário é, de longe, o mais utilizado (80%), seguido do ferroviário (8%) e aeroviário (5%). Por isso, 87% das empresas consultadas acreditam que a melhoria das condições das rodovias é um fator importante para reduzir os custos logísticos, seguido pela mudança na cobrança de ICMS (67%) e expansão da malha ferroviária (59%).

A pesquisa ainda revela que:

  • 77% das empresas consultadas consideram nossas rodovias péssimas ou ruins;
  • 89% consideram a participação privada essencial ou extremamente essencial para o desenvolvimento dos projetos de infraestrutura no Brasil;
  • 93% do empresariado acredita que o maior gargalo para o cumprimento das obras de infraestrutura no Brasil é a corrupção, seguida da burocracia (92%).

BRUTUS Sustainable Transport chega como opção sustentável para o mercado

A BRUTUS Sustainable Transport é uma startup curitibana, que foi acelerada pela escola de negócios do ISAE. Com início das atividades em 2007, o intuito foi reformular os processos da antiga transportadora de cargas, prestando serviços de transporte rodoviário de cargas (FTL) em âmbito nacional. Hoje, a empresa faz a gestão de operações em transporte rodoviário de cargas lotação (FTL — Full Truckload) via plataforma web e aplicativo próprio.

A proposta é oferecer, ao industrial, redução de custos logísticos, otimização de cargas, agilidade, segurança e altos níveis de serviço em transporte de cargas. E ao caminhoneiro agregado ao aplicativo, fretes competitivos, conhecimento e treinamento, sustentabilidade ao ambiente de transporte e ao ecossistema de transporte de cargas.

Você caminhoneiro, clique aqui para preencher o nosso formulário e receber em breve e em primeira mão novidades sobre essa nova forma de trabalhar de forma justa.

Com informações: FDC.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
× Fale conosco!