_ TELEFONE: (41) 99685-0693_____________ _E-MAIL: CONTATO@BRUTUSST.COM.BR

Pesquisa, revelada em junho, aponta necessidade de reestruturação para auxiliar caminhoneiros e a indústria no geral

O ano de 2016 já trazia uma lista com números bem negativos em relação à economia nacional e o setor de logística de transportes não estava fora dela. A Sondagem Expectativas Econômicas do Transportador 2016, realizada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), mostrava que a crise na economia do Brasil teve impactado fortemente o setor de transporte, afetando caminhoneiros e a indústria em geral.

Segundo o levantamento, a maioria das empresas (60,1%) teve diminuição de receita bruta em 2016, e 58,8% precisaram reduzir o número total de viagens. Para 74,6%, houve aumento do custo operacional.

A pesquisa ouviu 795 transportadores de todo o país, que atuam nos diferentes modais (rodoviário, ferroviário de cargas, metroferroviário, urbano de passageiros por ônibus, aquaviário e aéreo).

Veja alguns dados: 

  • A maioria deles (90,7%) considera que a crise política também os afetou negativamente;
  • Pelo menos 37,4% das empresas do setor reduziram o número de veículos em operação em 2016;
  • Esse cenário refletiu na retenção de mão de obra. De dezembro de 2015 a setembro de 2016, foram demitidos 52.444 trabalhadores no setor;
  • Somente nos últimos seis meses do ano passado, 58,1% das empresas brasileiras de transporte tiveram de reduzir o quadro de funcionários devido à situação econômica do país;
  • 77,5% revelam que tiveram aumento do custo operacional em razão da retomada da cobrança da Cide-combustíveis;
  • Apenas 7,6% da arrecadação da Cide-combustíveis foi convertida em investimentos federais desde 2015;
  • 45,7% dos empresários do segmento rodoviário de passageiros afirmam que o número de assaltos cresceu;
  • 48,5% das empresas de transporte rodoviário de cargas registram aumento da quantidade de roubos.

Já em 2017… 

Em meados do segundo semestre de 2017, a CNT liberou a segunda edição do seu anuário de transporte, com dados referentes ao ano passado. Segundo a organização, de 2015 para 2016, o número de empresas de transporte rodoviário de carga caiu de 156.765 para 111.743, redução de 29%.

E quando se fala de caminhoneiros autônomos, a queda foi ainda maior. Eram 723.807 em 2015 e passaram a 553.643 no ano passado. Isso representa um encolhimento de 23% da categoria. Já o número de cooperativas baixou de 329 para 274 (-17%).

BRUTUS Sustainable Transport chega como opção sustentável para o mercado

A BRUTUS Sustainable Transport é uma startup curitibana, que foi acelerada pela escola de negócios do ISAE. Com início das atividades em 2007, o intuito foi reformular os processos da antiga transportadora de cargas, prestando serviços de transporte rodoviário de cargas (FTL) nível nacional. Hoje, a empresa faz a gestão de operações em transporte rodoviário de cargas lotação (FTL — Full Truckload), via plataforma web e aplicativo proprietário.

Nossa proposta é oferecer ao industrial redução de custos logísticos, otimização de cargas, agilidade, segurança e altos níveis de serviço em transporte de cargas. E ao caminhoneiro, agregado ao aplicativo: fretes competitivos, sustentabilidade ao ambiente de transporte e ao ecossistema de transporte de cargas.

Fique de olho em novidades em breve sobre essa nova forma de trabalhar de forma justa!

Com informações: CNT

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Fale conosco!